Documento sem tlo

José Joaquim Emerico Lobo de Mesquita

(1746 - 1805)

O liberto José Joaquim Emerico Lobo de Mesquita nasceu em Serro do Frio, Serro/MG. Filho de um português e da escrava Joaquina Emerenciana, ele se tornou um dos mais importantes autores da música erudita no Brasil, um grande nome da música sacra do século XVIII.

Foi organista, regente e compositor, patrono da cadeira nº. 4 da Academia Brasileira de Música; foi músico da tropa paga para a defesa da capitania de Minas Gerais, com patente de alferes. É considerado o mais expressivo compositor setecentista de Minas Gerais. Estudou música com o padre Manuel da Costa Dantas, mestre de capela da Matriz de Nossa Senhora da Conceição. Foi para o Arraial do Tijuco (1776), hoje Diamantina, para ser responsável pela instalação, na Matriz de Santo Antônio, de um órgão fabricado pelo Padre Manuel de Almeida Silva, onde desenvolveu sua carreira como organista e compositor (Regina caeli laetare, 1779) até que entrou para a Ordem Terceira de Nossa Senhora do Carmo (1789).

Alferes do Terço de Infantaria dos Pardos, foi o encarregado de um Oratório para a Semana Santa (1792). Regeu a música para o tríduo do período (1798-1799), na matriz de Nossa Senhora do Pilar, em Ouro Preto, e as Quarenta Horas, do período seguinte (1800-1801). A partir daí, até sua morte, tocou nas missas da igreja da Ordem Terceira do Carmo, no Rio de Janeiro, cidade onde morreu, em 1805. Um de seus Ofícios de Defuntos foi apresentado na vila de Caetés/MG, em 25/01/1827, em memória da Imperatriz Leopoldina, o que mostra que o compositor era ainda reconhecido mais de vinte anos após seu falecimento.

De suas obras, as mais significativas são as Antífonas da Santa Senhora (Regina caeli laetare e Ave Regina caelorum) e Salve Regina (1787), Missa em Fá (1780) e Missa em Mi Bemol (1782), Dominica in Palmis (1782), uma das raras originais do compositor, e o motete Tercio (1783), considerada a mais antiga partitura de um compositor brasileiro.

Dinilson Barbosa

Dinilson Barbosa da Silva nasceu com aquela luz inata que jamais se apaga. Expressão do mais genuíno e inspirado talento, um virtuose do violão, excelente vocalista, intérprete privilegiado de ambos (voz e violão), professor de música e compositor. Romântico, interpreta a nossa bela MPB. Aos oito anos já se iniciava no aprendizado da música. Simplista e ao mesmo tempo requintado nas suas apresentações, Dinilson Barbosa é sério, compenetrado e sempre se enleva ao interpretar uma canção. (Nadir Lanza – Fatoral – Sete Lagoas, fevereiro de 1998).

Mário Fontana - Fatto In Video

Mário Fontana, desde muito cedo, manifestou um enorme entusiasmo e interesse por fotografia e vídeo. Aos 18 anos, já atuava profissionalmente no mercado de Belo Horizonte, capital do Estado de Minas Gerais.

Graduado em Física pela Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG, área adversa à profissão que exercia, mas que se tornou, no entanto, fundamental para ele, ampliando-lhe, assim, a compreensão da matéria prima com a qual trabalha: a luz.

Mário Fontana tornou-se autodidata em várias áreas da fotografia, vídeo e cinema, fundando, no ano de 2003, já com 25 anos de experiência, sua primeira produtora, a Fatto in Vídeo, com unidades em Belo Horizonte e Sete Lagoas/MG. Hoje, com o avanço das comunicações, a empresa, sediada em Sete Lagoas/MG, realiza trabalhos em todo o Brasil.

Fotos, Áudios & Vídeos > Vídeos > Textos Complementares
Voltar